GALERIA ESCRITÓRIO SUHRE

 

HOME    >    ESCRITÓRIO    >    ATUAÇÃO    >    CONTATO     >    NOSSOS PARCEIROS  >  GALERIA

 

[ GALERIA DOS CINQUENTA ANOS ]

 

Galeria01.JPG
Galeria02.JPG
Galeria03.JPG
Galeria04a.jpeg
Galeria07.JPG
Galeria08a.jpg
Galeria11.JPG
Galeria13.JPG
Galeria15.JPG
Galeria17.JPG
Galeria 19.jpg
Galeria04.JPG
Galeria05.JPG
Galeria06.JPG
Galeria08.JPG
Galeria09.JPG
Galeria10.JPG
Galeria12.JPG
Galeria14.JPG
Galeria16.JPG

 

 

Reportagem do Jornal Alto Taquari de 14 de junho de 2019:

Galeria18.jpeg
Aldino Suhre.jpg

[ UM TIME DE PESO ]

 

Dando continuídade as comemorações do nosso cinquentenário, o Escritório Suhre passa em 2019 a patrocinar o time de futebol da cidade de Arroio do Meio: Clube 7 de setembro São Caetano.

WhatsApp Image 2019-09-10 at 15.35.42.jpeg
WhatsApp Image 2019-08-06 at 11.09.29.jpeg
WhatsApp Image 2019-09-08 at 17.57.32 (1).jpeg
WhatsApp Image 2019-09-08 at 17.57.32.jpeg
Report_JATb.jpg
WhatsApp Image 2019-09-08 at 17.57.32 (2).jpeg
WhatsApp Image 2019-09-08 at 17.57.32 (3).jpeg
Clube Sete de Setembro São Caetano.jpeg

[ EVENTO DE SUCESSO NA ACISAM ]

 

Convite JOA01.jpg

O evento contou com empresários e profissionais da região, os quais após as palestras ministradas pelo Sr. Fernando Borges, um dos Gestores do Escritório Suhre, e pelo Sr. André Rosa da Rosa, diretor da empresa UNU Empresarial, participaram de uma degustação dos produtos da Nona Bassela e casa Luigi Basílio.

planejamento-estrategico_cenários.png

 

 

Também a necessidade até então quase desapercebida pelos empresários de protegerem suas marcas e suas ideias passam a ter um outro prisma, "com uma proposta de avaliação e gerenciamento desse patrimônio que em muitos casos supera o valor da própria empresa", esclarece André da Rosa.

.

Foi realizado no último dia 21 de novembro de 2019 um evento por iniciativa do Escritório Suhre e da UNU Empresarial, nova parceira do Escritório para desenvolvimento de produtos na área de planejamento e gestão, bem como para trazer a comunidade do vale do Alto Taquari uma nova opção de proteção às empresas que desejam resguardar suas marcas e ideias. 

Os assuntos abordados:

1) Lançamento dos novos produtos do Escritório Suhre em parceria com a empresa UNU Empresarial, a saber: Planejamento Estratégico, Gestão Empresarial e Gestão de Segurança da Propriedade Empresarial e Intelectual;

 

2) Apresentação dos cases de sucesso "Delícias no Cone - Nona Bassela" e "Casa Luigi Basílio";

 

3) Lançamento da campanha "Natal sem fome: se você não pode mudar o mundo,  ajude a mudar o mundo de alguém!";

IMG-20191122-WA0017.jpg

Os novos produtos de planejamento e gestão proporcionam às empresas da região a oportunidade de terem acesso personalizado a recursos avançados, os quais ou significavam um alto custo de implementação, ou em muitos casos não atendiam suas expectativas em qualidade e resultados. Também passam a contar com um canal de proteção para suas marcas e ideias, de forma rápida e com atendimento diferenciado. Com os novos produtos as empresas passam a ter uma visão de futuro e razão de continuidade, mesmo após a ausência de seus atuais administradores: "O negócio não precisa morrer com a saída de seus fundadores", explica Fernando Borges.

Gestão01.jpg
Gestão Segur01.jpg

Já com relação a campanha de Natal, o objetivo é arrecadar o máximo de alimentos não perecíveis, os quais serão destinados a minimizar às necessidades de comunidades e pessoas carentes.

Natal Sem Fome.jpg

Com o apoio de empresas, entidades, e da comunidade em geral, o sucesso dessa Campanha estará garantido!

 

 

Também aproveitamos para mostrar um pouco mais sobre a nova Plataforma WebSharing:

 

WebSharing03.jpg

 

 

Como sempre a participação e produção da Equipe do Escritório Suhre foi fundamental para o sucesso do evento:

 

Equipe Suhre.jpg
Reportagem AT24042020.jpg

Sobre a situação atual e a crise gerada pela pandemia de Covid-19

Por Angela Suhre Borges - reportagem Jornal O Alto Taquari de 24/04/2020
Contadora e Bacharel em Direito


Algumas pessoas, incluindo clientes, têm trocado ideias comigo, e até me questionado sobre as variáveis geradas pela pandemia de Covid-19. Qual a real gravidade da doença? O que fazer, e as conseqüências dessa crise que tem abalado a sociedade em geral?

Deixando de lado os méritos sobre sua origem e as discussões que envolvem os processos de propagação do vírus, eu costumo dividir a questão em duas partes: o parecer e as recomendações sob o ponto de vista legal, e a minha opinião pessoal sobre tudo isso.

Em primeiro lugar, sob o ponto de vista legal é importante dizer que para nós profissionais de todas as áreas e público em geral, e deixando de lado as questões ideológicas e partidárias, todas as ações que tem sido tomadas pelos “gestores locais” são na verdade ILEGAIS. Não considero aqui as questões de saúde, pois essas são de cunho dos “especialistas”, médicos incluindo infectologistas que tem se dividido muito em suas opiniões, até o ponto de nos questionarmos se existe mais de uma “medicina”. Portanto, não vou entrar nessa seara.

Retornando então para o âmbito legal da questão, os decretos que têm sido emitidos pelos prefeitos e governadores são, como disse acima, ilegais, perante inclusive a própria Lei na qual se baseiam (Lei 13.979 de 06 de fevereiro de 2020). E não precisa ser um “operador de Direito” para ter ciência disso. Basta uma boa leitura da Lei que logo se perceberá essa ilegalidade. Mas podemos resumir isso em uma única afirmação: a Lei determina que os “gestores locais” somente têm poderes delegados para as ações tomadas através dos decretos SE, e somente SE, tiverem um parecer favorável da ANVISA e AUTORIZAÇÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. E até hoje desconheço algum que a tenha. Isso para não adentrarmos na ilegalidade da própria Lei, pois fere a Constituição Federal no que tange o direito de ir e vir dos cidadãos, o qual só pode ser revogado em caso de “estado de sítio”, de outorga exclusiva do Presidente da República.

Portanto, todas as conseqüências do “isolamento social” ou “quarentena horizontal” são de responsabilidade dos autores dos decretos, os quais sob a justificativa de evitar a propagação do vírus, tem condenado a economia local a um caos declarado, do qual possivelmente não teremos recuperação a curto prazo, e talvez nunca para algumas empresas, empreendedores e profissionais autônomos.

Independentemente da questão legal, na minha opinião, as ações tomadas pelos prefeitos e governadores foram no mínimo precipitadas, pois não levaram em consideração as possibilidades específicas para nossa região, hábitos, e momento atual. É fato amplamente conhecido que a Covid-19 se espalha de forma diferente em climas diferentes e pessoas de idades e condições físicas diferentes. O surto pandêmico chegou ao Brasil entre final de janeiro e início de fevereiro, portanto no verão, onde o clima é desfavorável a sua propagação. Mesmo assim, é no mínimo incongruente o fato dos “gestores locais” que agora propagam em sua ampla maioria a necessidade de uma quarentena horizontal (total), na época sabedores da situação, pois o governo federal se manifestou sobre a pandemia que se espalhava, terem ignorado os avisos e decreto federal (de 03 de fevereiro de 2020 - situação de emergência nível 3) , tudo aparentemente em prol do Carnaval.

As ações tomadas pelos prefeitos e governador, mesmo que não tenham cunho político/partidário, deixam de considerar as características regionais. Pergunto: quantos casos de Covid-19 temos em Arroio do Meio, por exemplo? E nos demais munícipios? E assim sendo, é necessária uma quarentena horizontal que condena nossa economia e nossa população a um caos que pode causar uma grave recessão local? Ou poderíamos adotar uma quarentena vertical, preservando o grupo de risco e permitindo que todos trabalhem com os devidos cuidados de assepsia e higiene?

Me parece que está na hora de uma reflexão forte, deixando de lado os interesses pessoais ou sectários, e decidir de forma mais sóbria e sensata: optar por uma “quarentena vertical” (a qual preserva o grupo de risco), mantendo quem pode trabalhando, em qualquer que seja seu ramo de atividade, pois o pior do inverno pode não ser os casos de Covid-19, mas a quebra da maior parte de nossa economia, com graves repercussões sociais.

E os “gestores locais” precisam tomar essa decisão, se não por essas fortes razões, pelo bom senso pessoal, sob pena de não se elegerem nem a síndicos de condomínio.

 

Homenagem10anos03.jpg

Patrimônio do Escritório Suhre

Alguém sendo transformada em "patrimônio" do Escritório... Parabéns pelos 10 anos de serviços!
Nosso reconhecimento!

 

Um dos orgulhos do Escritório Suhre é nossa política de parceria com nossos colaboradores. Reconhecimento, participação nos resultados, motivação são os combustíveis para fazer nossa "máquina" andar cada vez mais rápido e melhor!

 

Dentro desse espírito, comemoramos e reconhecemos os 10 ANOS de trabalho e dedicação da nossa responsável pela Célula de RH/DP, a SALETE CRISTINA BUCHNER SOARES!

 

E que venham mais 10 anos!

 

Homenagem10anos06.jpg

Feliz Natal 2020 & Próspero 2021!